A mulher atual e seus múltiplos papéis

2 Mar 2016

A mulher atual vive um momento de acentuada multiplicidade de papéis e sente-se, consequentemente, muito  

pressionada. Acha que necessita corresponder a todas as expectativas, internas e externas: ser boa mãe, boa esposa, boa dona de casa, boa funcionária, manter-se esteticamente dentro dos padrões de beleza estabelecidos pela mídia, estar atualizada, ser competitiva e enfim, ser uma "super-mulher". 


 

No processo de ascensão profissional e social, as tarefas domésticas, os cuidados com os filhos, nem sempre estão divididos adequadamente. A mulher por sua vez, tem dificuldade de abrir mão de algumas coisas para poder conquistar outras. Neste processo histórico e social de mudança de papéis é necessário rever-se as responsabilidades de cada membro da família. A mulher tem que rever seus papéis e, muitas vezes tem dificuldade de mudar suas atitudes e de ser mais flexível. A família deve se perceber como uma equipe, onde cada membro possua suas responsabilidades e possam juntos crescer e serem felizes, sem que ninguém necessite se "sacrificar" pelo outro. 


E, como é que podemos reverter este quadro? Através do diálogo, do exercício e da ação. É necessário sentar e conversar, primeiro com o parceiro, dizer que não está conseguindo viver e ser feliz, pedir ajuda, mudar regras e, depois, juntos, conversar com a família toda. Esta mudança de atitude proporciona a possibilidade de crescimento de todos os membros da família. As pessoas passam a sentirem-se mais úteis e responsáveis, surge uma maturidade familiar que beneficia a todos pessoalmente, além de sobrar mais tempo para que todos possam viver suas próprias vidas e estarem juntos quando assim o desejarem. Este é um exercício difícil de ser vivido, mas bastante gratificante quando alcançado. 


11 Dicas Para Conseguir as Mudanças Necessárias

1. Você necessita ser bastante sincera e realista nesta análise. 

 

2. Não é possível dar "conta" de tudo e ser feliz.
 

3. Não é saudável para a sua família que você seja centralizadora. 
 

4. Faça uma lista de todas as tarefas que executa no seu dia-a-dia. Todas!
 

5. Marque, dentro desta lista, aquelas que somente você, impreterivelmente, pode executar.
 

6. Verifique aquelas que devem ser divididas com os outros membros da família. 
 

7. Marque encontros com os membros da família para conversarem sobre esta questão. 
 

8. Caso seja um casal com filhos, converse primeiramente com seu marido e, depois com os filhos. As regras

devem estar estruturadas pelo casal antes de serem passadas para os filhos, podendo sofrer adaptações ao longo desta conversa com os filhos. Exercite a flexibilidade, mas mantenha-se firme em seus objetivos. 
 

9. Esteja aberta ao diálogo e às críticas. Se as críticas forem injustas, ignore-as, evite o conflito neste momento, este pode ser um "escudo" de defesa do grupo para não mudar as regras. A situação atual é bastante confortável para todos, mas não para você. O grupo quer evitar o crescimento. 
 

10. Não os acuse de pouco participativos, chame-os para participarem, peça a ajuda deles e lhes dê oportunidade de participação.
 

11. Controle as críticas, se o que eles fizerem não estiver como você gosta, não critique, ao contrário disto, elogie a atitude de fazer, eles irão precisar aprender a fazer aquilo que você sempre fez por eles, e isto pode demandar tempo e paciência de sua parte. Exercite-a. 

Please reload

Artigo em Destaque

O que é psicoterapia?

31 Jan 2017

1/10
Please reload

Artigos Recentes
Please reload

Arquivos
Please reload

Procurar por tags